Efeito Estufa – 7 passos essenciais para empresas diminuírem as emissões de gases


Efeito Estufa. Um assunto debatido há muitos anos. As empresas têm um papel fundamental na redução das emissões de gases do efeito estufa. Basta seguir alguns passos para ocorrer uma diminuição na emissão de gases.

Essa busca por novas posturas empresariais nasceu graças às pressões da sociedade, fazendo com que a gestão de gases sejam incorporadas às estratégias de negócios. Conheça 7 passos básicos, mas essenciais para diminuir as emissões de gases do efeito estufa!

1. Mensurar as emissões de gases do efeito estufa

O primeiro passo para uma empresa começar a reduzir suas emissões de gases do efeito estufa é através da mensuração com um diagnóstico detalhado. Através dele, é possível analisar a quantidade total e a evolução das emissões, além dos principais tipos de gases que estão sendo emitidos em operações diretas ou indiretas da empresa.

2. Avaliar os riscos envolvidos

Para uma gestão de baixo carbono, é primordial entender o grau de exposição aos riscos de emissões dos gases de efeito estufa de cada empresa. Os principais riscos são: regulatórios, físicos, reputacionais e financeiros. Os riscos regulatórios estão relacionados aos acordos internacionais, novos regulamentos e até a própria falta de regulamentação. Os riscos físicos são os impactos de possíveis eventos naturais nos negócios, como alguma mudança de disponibilidade de água ou energia nas operações de fábricas. Os riscos reputacionais, por sua vez, têm a ver com a atenção dos consumidores perante às iniciativas de redução de emissões das empresas. Por fim, os riscos financeiros envolvem custos adicionais ou perdas financeiras em geral.

 

"<yoastmark

3. Identificar novas oportunidades

A avaliação de riscos das emissões dos gases do efeito estufa também permite identificar oportunidades em relação a mudanças climáticas. Isso significa poder detectar um elevado consumo de energia, por exemplo, e consequentemente encontrar oportunidades para melhorar a eficiência energética, a fim de um retorno positivo dos investimentos.

4. Desenvolver ou otimizar a gestão de carbono

Criar ou melhorar gestão estratégica de carbono é importante para valorizar os negócios ao implementar medidas eficazes de redução de riscos e melhor aproveitamento de novas oportunidades.

5. Definir metas a curto e longo prazo

É preciso avaliar o potencial de redução das emissões (além da viabilidade técnica e financeira) para  que as empresas definam metas coerentes de acordo com esse potencial. Devem ser metas realistas que possam ser alcançadas a curto e a longo prazo.

6. Divulgar tanto as ações quanto os resultados

O número de empresas que divulgam as emissões de gases do efeito estufa tem crescido nos últimos anos, de acordo com o Centro de Estudos em Sustentabilidade da EAESP-FGV. Não é à toa, já que essa divulgação ajuda a empresa capitalizar ações, oferece transparência e reconhece a importância de iniciativas dos gases. A divulgação pode ser feita por diversos canais de comunicação, como a própria internet (websites) ou através de relatórios de sustentabilidade.

7. Alinhar os princípios com acionistas, funcionários e clientes

Por fim, engajar outros públicos, como os acionistas da empresa, funcionários e clientes, é outro passo indispensável para que todas as partes envolvidas na organização estejam alinhadas com os seus princípios de gestão!

Fonte: Portal da Indústria

botao-segredo-cultura

 

 

 

 

 

 

 

Autor: Reginaldo Pedreira Lapa
Engenheiro de Minas e de Segurança do Trabalho
Diretor da RISKEX

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *